04 novembro, 2009

coração cativo busca libertação

É duro sentir na pele um monte de emoções ao mesmo tempo
Mas é assim que sinto a vida nos dias de hoje
Voltar para casa todos os dias me dilacera o peito
Isso nao me parece mais um lar
A casa está sendo desconstruída
Assim como minha vida, aos poucos vai sendo desmontada
Outrora eu teria desmoronado
Mas agora, vou removendo tijolo a tijolo
Pra ver o que é que fica
Pra ver do que realmente sou feito
Entender direito, aquilo que quero ser

Nasci de novo, sou uma criança
Não sei de nada, não sei respostas
Estou aqui para aprender com todos vocês
Amigos e irmãos

Vou cuidadosamente tirando de mim a massa corrida
Lentamente raspando entre os pequenos vãos
Para descolar os tijolos que me compõe
Delicadamente os retiro e guardo ao lado
Se alguem quiser, eu dou meu material
Empresto, com gosto, tudo que tenho foi adquirido com carinho

Tenho orgulho em saber que plantei muita coisa boas no jardim
E todas essas flores exalam seus aromas pra mim

É duro lembrar que justo da flor que eu mais reguei
E que todo dia estava comigo
Eu recebi os piores cortes de espinho

Agora meu coração, ainda cativo
Busca libertação
Sentimentos contrários entorpecem o dia a dia
Meus olhos marejados veem o mundo
Através de uma película fina, porém opaca

Mas através da desconstrução vou encerrando
Um a um estes sentimentos
E vou juntando outros
Novos, reluzentes, brilhantes
Agora tudo será feito de luz
E eu serei o reflexo de algo maior

Tanto devaneio, quero ver na prática meu bom rapaz!!!

Um comentário:

Bianca BIH Bibiano disse...

escreve mais!!
é sempre bom ler os textos de alguém que gosta de escrever de verdade =]